Quem é Jesus para você?

Artigos Recentes

12º Domingo do Tempo Comum

Evangelho de Lc 9,18-24

Por Celia Soares de Sousa

O evangelho do 12º Domingo do Tempo Comum é um convite para percorrer o caminho novo com Jesus, ou seja, passar da cruz para a ressurreição. É preciso tomar a decisão de seguir com Jesus e, com toda a Igreja, ouvir de novo a pergunta que Ele fez um dia para a comunidade nas proximidades de Cesareia de Filipe: “E vós, quem dizeis que eu sou?” (cf. Lc 9,20).

O evangelho de Lucas nos mostra Jesus rezando: Ele é próximo do Pai, e é nesse relacionamento de amor e doação que Jesus, o Filho amado de Deus, nos ensina a conhecer mais a Deus Pai, a confiar mais na sua bondade e no seu cuidado para com todos seus filhos e filhas.

A oração nos aproxima de Deus, e Ele se revela a nós. A sua profunda intimidade conosco está enraizada na misericórdia, ou seja, somos frágeis e limitados. No entanto, nosso “encontro pessoal com Cristo” nos revela como filhos e filhas do mesmo Pai, que envia seu Filho para nossa redenção. Como é bom saber que fazemos parte de uma mesma família, a Igreja, que é Mãe e nos acolhe em nome do Cristo vivo, que nos chama e nos envia em missão!

No encontro com os discípulos, Jesus questiona: “Quem diz o povo que eu sou?”. No entanto, Jesus lança outra pergunta: “E vós, quem dizeis que eu sou?”. A resposta que Ele espera exige não apenas uma informação teórica como também uma adesão que supõe uma relação pessoal com Ele, uma adesão a sua pessoa, aos seus ensinamentos.

Atualmente, temos tido tempo para rezar em família? Para o encontro pessoal com Cristo? Estamos buscando conhecer, acolher, aderir com radicalidade, testemunhar e anunciar a bondade de Deus? Quem é Jesus para você? Reconhecê-lo nas alegrias e nos desafios de cada dia exige de nós uma profunda conversão e maturidade na fé, para que tomemos a firme decisão de segui-lo. 

12º Domingo do Tempo Comum
Pexels.com

Jesus convida seus seguidores e seguidoras para “tomar sua cruz cada dia” (cf. Lc 9,23). Tomar a cruz de cada dia implica: ter consciência dos sinais de morte que ameaçam as pessoas que lutam por justiça e solidariedade; agir para que sejam eliminados os projetos injustos de poder e ganância, que provocam falta de terra, teto e trabalho, a fim de que nossos povos tenham vida; e, sobretudo, conhecer Jesus, segui-lo e assumir o Projeto de vida que Ele testemunhou com palavras e ações. Ele é o caminho que nos leva ao Pai.

A dor, o sofrimento e a rejeição foram experimentados por Jesus, quando as próprias autoridades religiosas e políticas da sua época o perseguiram, julgaram e o condenaram à morte. Mas Deus o ressuscitou no terceiro dia (cf. Lc 9,22), e essa é a nossa grande alegria. Nosso Deus é o Deus da Vida! Jesus está vivo. Ele vive, e a cada Eucaristia nós renovamos a nossa fé.

Na entrega de si mesmo, Jesus oferece sua vida para nossa Salvação e nos faz participantes da sua missão. A missão de cada família hoje é a de atualizar esse sacramento na entrega de si mesmas, suas dores e alegrias, seus desafios e conquistas, bens e paixões. Tudo! Toda oferta não será em vão, pois Jesus garante “que quem perder a sua vida por causa de mim, esse a salvará” (cf. Lc 9,24).

12º Domingo do Tempo Comum
Pixabay.com

Sedentos da Palavra de Deus, possam as famílias, sujeitos fundamentais da ação missionária, escutar, acolher, viver e transmitir a Palavra de Deus, como autênticas Igrejas domésticas (cf. Estudos da CNBB 114, n. 176).

Louvemos a Deus, porque Ele “ama nossas famílias, apesar de tantas feridas e divisões. A presença invocada de Cristo através da oração em família nos ajuda a superar os problemas, a curar as feridas, e abre caminhos de esperança” (Documento de Aparecida, n. 119).

Celia Soares de Sousa é cristã leiga e teóloga, casada e mãe de dois filhos lindos. Apaixonada pela missão de servir e anunciar a Palavra de Deus, é comprometida com a formação pastoral e teológica do laicato. Instagram: celias.jpv

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada