Mundo pós-pandemia ou pandemia em
fase tardia?

Artigos Recentes

É possível fazer muitas previsões, exceto a da data do término desse estado sanitário

Dr. Vitor Last Pintarelli

A história da atual pandemia da Covid-19 teve uma data de início bastante precisa, 11 de março de 2020, quando a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou, oficialmente, a situação de ampla disseminação dessa doença pelos cinco continentes. Contudo, ao se falar em pós-pandemia, pode-se fazer muitas previsões, exceto a da data do término desse estado sanitário, pois, mesmo nos países onde a vacinação em massa da população e medidas rigorosas de prevenção de contágio obtiveram, até o momento, os melhores níveis de controle de casos, a doença não desapareceu por completo, e o risco de novos surtos é real.

Fatos como a Covid-19 ser transmissível por portadores assintomáticos pelo simples contato social, a grande mobilidade de indivíduos entre diferentes países e o surgimento de variantes do vírus (cuja susceptibilidade às vacinas existentes ainda é desconhecida) fazem com que nenhum país esteja livre do risco de novos surtos nos próximos meses ou anos.

Provavelmente, o fim da pandemia só ocorrerá após a maioria da população mundial ter sido vacinada, e o número de casos se reduzir globalmente, até a erradicação progressiva da doença em territórios cada vez maiores. Infelizmente, percalços podem surgir nesse caminho, como o surgimento de novas cepas resistentes às vacinas disponíveis, fazendo com que novos imunizantes tenham que ser desenvolvidos e aplicados à população, até que a meta de controle seja alcançada. 

pós pandemia
Freepik.com

Portanto, falar em pós-pandemia ainda é, em grande medida, um exercício especulativo, e parece mais correto (e, em certa medida, alentador) definir o período epidemiológico atual como fase tardia da pandemia, uma vez que já se avista uma luz no fim do túnel, apesar de não se saber o comprimento desse túnel nem a velocidade em que ele está sendo percorrido. Adicionalmente, mesmo após a obtenção do controle da circulação do vírus SARS-COV-2 e a erradicação dos casos ativos da Covid-19, os efeitos da pandemia deverão ser sentidos por muito tempo.

Pós-pandemia e suas sequelas

Em termos de saúde, já existem observações bem documentadas de que a Covid-19 pode gerar diversos tipos de sequelas, nos mais variados órgãos e aparelhos, incluindo: alterações do olfato e do paladar, distúrbios da memória e do raciocínio, sensação de cansaço e falta de ar, distúrbios do sono, problemas psicológicos, alterações nutricionais, perda de capacidade para atividades de trabalho e autocuidado. Ainda não se sabe ao certo o percentual de pacientes que desenvolvem essas complicações, nem em que medida elas podem ser revertidas, ou se se tornarão sequelas definitivas, porém já é consenso que a recuperação das vítimas da Covid-19 não se resume a sobreviver à doença aguda, mas inclui, para muitos pacientes, procedimentos de reabilitação peculiares às necessidades de cada caso.

Nesse contexto, merecem especial atenção os cuidados com a saúde mental. A pandemia fez com que a população mundial enfrentasse uma elevação do grau de estresse pessoal e coletivo, verificada, basicamente, em situações de grandes crises, fazendo com que distúrbios de ansiedade, depressão, crises de pânico, fobia social, consumo de álcool e drogas, estresse pós-traumático, tentativas de suicídio e outros quadros psiquiátricos aumentassem significativamente. Muitos portadores prévios desses distúrbios apresentaram agravamento de seus quadros, e outros tantos indivíduos passaram a manifestá-los no contexto da pandemia. 

Não se pode negligenciar também a devastação psicológica decorrente dos efeitos da pandemia, como o sofrimento daqueles que foram despedidos de seus empregos, que foram forçados a fechar seus negócios, que acumularam dívidas, que tiveram de adiar ou cancelar planos como o término da faculdade, a festa de casamento, a presença junto de seus amados em momentos importantes de suas vidas. Tampouco se pode ignorar a dor da perda de amigos e familiares, especialmente nos casos em que esse sentimento é potencializado pela sensação de culpa dos sobreviventes que creem ter sido os vetores de contágio dos familiares que não resistiram.

Covid-19
Pixabay.com

Assim, ainda que a humanidade deseje ansiosamente a chegada do dia em que a pandemia da Covid-19 seja declarada encerrada, o mundo pós-pandemia carregará, por muito tempo, os efeitos e as sequelas desse fenômeno, em esferas tão diversas como a saúde, a economia, o comportamento, a política, as relações trabalhistas, as comunicações etc. No entanto, enquanto esse momento não chega, sempre é necessário enfatizar a manutenção constante dos cuidados de prevenção, que são as estratégias mais sensatas diante de um adversário invisível e perigoso. Vacine-se assim que possível, use máscara, higienize as mãos com álcool gel e mantenha o distanciamento social. Medidas simples, repetidas à exaustão, mas que salvam vidas, encurtam essa fase tardia da pandemia e tornam mais próximo o desejado mundo pós-Covid-19.

Vitor Last Pintarelli é médico geriatra e professor da disciplina de Geriatria da Universidade Federal do Paraná. Autor de artigos científicos e capítulos de livros. É casado e pai de três filhos.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada