Elaborar o PDI é fazer a inclusão acontecer 

Artigos Recentes

Ele elimina as barreiras de acesso ao currículo escolar e faz com que a inclusão deixe de ser bonita só no papel

Por Ana Paula Patente

A inclusão é um processo que começa dentro de nós e revela se temos uma identidade inclusiva ou não. Isso porque evidenciamos, através de nossas práticas, intencionais ou não, nossos princípios, valores e atitudes diante da pessoa com deficiência. 

Quanto à educação inclusiva, é fundamental que todo educador tenha foco na celebração da diversidade e no respeito ao outro para que possa vislumbrar a singularidade de cada indivíduo e conceber a escola como um lugar de aprendizado para todos. 

Sabendo que a deficiência, de acordo com a Lei Brasileira de Inclusão, deixa de ser um atributo da pessoa e se torna o resultado da falta de acessibilidade do meio, o Plano de Desenvolvimento Individual (PDI) se constitui em um importante mediador na eliminação das barreiras de acesso ao currículo escolar e garante um percurso escolar de qualidade. 

Bonita só no papel? 

Sabe quando falamos que a inclusão escolar é bonita no papel, mas na prática ela não acontece? Isso ocorre por alguns motivos, mas quero citar dois. O primeiro se deve ao fato de o PDI do estudante não ter sido elaborado e, o segundo, é porque leis não se autoimplementam. 

Uma escola que não se prepara para atender a todos se torna menos democrática, excludente e descumpre a lei. Nesse sentido, devemos nos mover em direção ao seu rigoroso cumprimento. Só assim a lei sai do papel. 

Quanto ao PDI, esse é um documento escolar construído a várias mãos para que alcance a singularidade do estudante com deficiência, ou seja, que contribua para seu desenvolvimento pleno e integral. 

Plano de Desenvolvimento Individual (PDI)
Freepik.com

O PDI congrega os múltiplos olhares da equipe escolar, da multiprofissional e da família sobre as diferentes práticas que devem ser ofertadas não apenas na dimensão acadêmica como também pessoal, social, emocional, física e cultural. 

É por isso que elaborar o PDI é fazer a inclusão acontecer, pois é nele que está a possibilidade de eliminar o “não é possível”, fazendo com que o potencial se sobressaia sobre o diagnóstico, revelando o “sim, é possível”, pois todos podem aprender. 

Ana Paula Patente é pedagoga pela Universidade Federal de Minas Gerais e Especialista em Educação Especial na Perspectiva Inclusiva pela PUC Minas. É professora e consultora em educação inclusiva em escolas públicas e privadas. É criadora da Comunidade Educadores Inclusivos e autora do livro Guia definitivo para elaborar o PDI e idealizadora do Inclusão na Prática.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada