Juventude missionária

Artigos Recentes

Conheça o carisma Dehoniano e a encantadora experiência de seus jovens missionários

Por Moisés Mittelstaed

Trago a você uma experiência de jovens católicos na vivência de um carisma, sonhada por Pe. João Leão Dehon, francês, fundador da Congregação dos Padres do Sagrado Coração de Jesus, popularmente chamados de Dehonianos. Ideal esse partilhado por jovens leigos e leigas de 17 a 28 anos, que se identificam com essa espiritualidade reparadora.

Nasce um sonho

A MDJ (Missão Dehoniana Juvenil) surgiu na Argentina após a Jornada Mundial da Juventude, ocorrida em Buenos Aires, em 1987. A então Província brasileira enviou alguns religiosos ao Chaco Argentino para conhecer o projeto. Eles retornaram entusiasmados ao ver o jovem protagonista da evangelização missionária. Após alguns meses de preparação e estudo, aconteceu em janeiro de 1990 a primeira etapa da MDJ, em Mondaí, Santa Catarina.

Com a máxima de Pe. Dehon: “É preciso ir ao povo”, a MDJ proporciona experiências concretas de pastoral e de missão em nossas comunidades paroquiais. Muito tem contribuído para a vida de fé dos jovens que dela participam e das comunidades que acolhem esse trabalho missionário. Desde a fundação do projeto, no Sul do país, foram missionadas 13 cidades. O projeto se estendeu para as demais províncias do Brasil, servindo de inspiração para trabalhos missionários em outros territórios.

Preparando o coração

O Senhor te chama para a missão! Esse convite ecoa suavemente no coração de nossa juventude, cada dia mais profundamente, como compromisso na construção do Reino. A MDJ concretiza o que Pe. Dehon afirmava: “O jovem é a mais bela criatura de Deus, é a esperança do porvir”; “As obras em que a juventude não participa estão golpeadas de esterilidade”. Todos são convidados a se preparar e partir em missão!

Na prática

MDJ- BRM

Ocorre o convite à cidade escolhida pelo superior provincial. Após é realizada a preparação com a acolhida, organizada por uma equipe que irá fazer o levantamento de território, movimentos, pastorais, mapeamento, animação da comunidade e, finalmente, se realiza a missão.

Já no outro lado, a juventude se prepara para ir à missão, trazendo no rosto a alegria de uma Igreja jovem e vibrante, que acredita na evangelização. Mensalmente se encontram para rezar, estudar e conhecer melhor o território a ser missionado.

A disposição missionária desses jovens é sentida também no próprio nome dos regionais. Disposição geográfica que na província assumiram, pela união das mais de 15 paróquias de onde provêm. No mistério do Coração de Jesus que se mostra para humanidade: Cor Unum, Ecce Ancilla, Ecce Venio, Adveniat Regnum Tuum e Sint Unum.

A MDJ nos instiga a ir ao povo, em nome do Senhor, para falar de amor, reavivar a fé, cultivar esperança nas pessoas, despertando a disponibilidade e a responsabilidade que é evangelizar; o que faz lembrar a frase mais falada entre os missionários, quando lhes é perguntado sobre a missão: “Fui para missão com o intuito de evangelizar, mas eu que fui evangelizado”. 

Logo, encontramos a Deus nos pequenos detalhes, no olhar das pessoas, nos gestos, palavras e ações. Crescemos ao ouvir a experiência do outro. Percebemos que a missão é estar em movimento, pois, quando vamos ao encontro do outro, acabamos nos encontrando também, é um aprendizado mútuo. Aprendemos que, para levar o amor de Deus, é preciso sair da nossa comodidade, para viver o que ele nos propõe, descobrindo a diversidade.

Entenda melhor

Pré-Missão: na Paróquia Missionada, visitas às comunidades, pastorais, movimentos, mapeamento das casas e realidades do território; nos setores, encontro regional, pré-missão e retiro anual.

Missão: os jovens, sacerdotes, religiosos, religiosas e seminaristas permanecem acampados por cerca de quinze dias, em cada etapa, nas comunidades.

1a Etapa: acontece a visita das famílias e a bênção das casas.

2a Etapa: volta-se o olhar para a realidade social do território, com visitas, oficinas e eventos preparados pelo grupo.

3a Etapa: retornam as visitas das casas, agora com membros da comunidade, deixando também nela nossa herança missionária, pois a semente foi lançada, a Missão continua, mas agora com as pessoas da comunidade, visando a lindos frutos.

Pós-Missão: além da avaliação da comunidade local com seu pároco, a equipe de coordenação também retorna à comunidade para preparação da próxima etapa.

Suavizando cruzes

Pe. Zezinho, sacerdote dehoniano, partilha com clareza nosso carisma, que a MDJ também adota na cruz dehoniana, símbolo carregado junto ao peito. “Essa cruz tem as pontas suavizadas. Não carregamos a cruz dos outros, mas somos chamados a torná-las mais suaves. Suavizadores de cruzes, reparadores.”

O testemunho de quem recebe um jovem dehoniano em sua casa é vibrante. Da mesma forma é encantadora a experiência do jovem que parte em missão. Não quer parar. Quer voltar de novo. Se esforça. Luta por isso. Ama a missão! Vivat cor Iesu, per cor Mariae!

Moisés Mittelstaed é padre dehoniano. Teve experiência em casa de retiros, paróquia universitária e na formação dos seminaristas. Faz parte da coordenação do projeto MDJ na província do Sul do Brasil. Ele tem no cicloturismo e no montanhismo um gosto pessoal que o leva a unir vida e missão.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada