Foram ver onde morava e ficaram com Ele

Artigos Recentes

2º Domingo do Tempo Comum

Evangelho: Jo 1,35-42

Por Mery Elizabeth

Queridos irmãos e irmãs, que a graça e a paz de Deus, nosso Pai, e de Jesus Cristo, nosso irmão, pela ação do Espírito Santo, nosso defensor, estejam com você e toda a sua família.

Hoje, tem início um novo período do calendário litúrgico; trata-se do Tempo Comum, que compreende as semanas após o domingo da festa do Batismo do Senhor até a Quaresma, e das semanas após o domingo de Pentecostes até o Advento.

Durante as semanas do Tempo Comum, a liturgia propõe a celebração do mistério de Cristo de forma global, ou seja, percorrendo, através dos Evangelhos de cada dia, os fatos do cotidiano da vida de Jesus.

Desse modo, o Evangelho de hoje apresenta João Batista, que é considerado o último profeta do Antigo Testamento e o único que viu a promessa da chegada do Messias se cumprir. É ele que, ao ver Jesus, o reconhece como o Cordeiro de Deus. Junto de João, estão dois discípulos; o nome de um deles é André, e o nome do outro discípulo o texto não informa. Por fim, tendo André encontrado o seu próprio irmão, Pedro, chama-o e o apresenta a Cristo.

É importante notar a primeira frase do texto deste Evangelho: “No dia seguinte, João estava lá, de novo…”. Para compreender melhor essa frase, basta recordar o Evangelho do último domingo, ou seja, podemos aqui entender que este “dia seguinte” se trata do dia após o Batismo do Senhor, e que este “lá” seja as margens do rio Jordão.

Pode-se imaginar que as margens do rio Jordão eram um ambiente que fazia parte da vida e do cotidiano do povo que habitava a região; certamente, era um ponto de encontro de mulheres, homens, jovens, crianças etc. É ali, nesse ambiente simples, onde se realizavam atividades corriqueiras, que Jesus se revela e se deixa encontrar.

Que procuras?

André e o outro discípulo, tendo ouvido a declaração do Batista, passaram a seguir Jesus. Ao perceber que estes haviam deixado João para percorrer, agora, o caminho que é o seu, a eles Jesus faz uma pergunta: “Que procurais?”.

A resposta dos discípulos foi clara e objetiva: “Mestre, onde moras?”, revelando assim que, verdadeiramente, não procuravam apenas por algo, mas por alguém, a quem eles já eram capazes de reconhecer como Mestre. Era Jesus, o Cordeiro de Deus, o motivo da procura.

Essas duas perguntas são chaves importantes na vida de todas as pessoas, independentemente do momento que estejam vivendo: “O que procuras?”; “A quem consideras mestre?”. Chegar às respostas dessas perguntas é tocar as motivações que nos levam a escolhas, que correspondem concretamente ao sentido de quem somos, do que fazemos, ou seja, de nosso ser e estar no mundo.

Jesus, como Mestre dos mestres, não tem teorias vazias, não usa da oratória para comunicar o projeto de Deus Pai. Sua técnica é uma só: testemunhar. A lógica, a dinâmica de Jesus é sempre surpreendente, por isso, ele chama: “Vinde e vede”.

Quang Nguyen Vinh – Pixabay

Eles foram e permaneceram com Ele

“Vinde e vede!”Esse convite de Jesus, feito aos seus primeiros discípulos, se repete a cada pessoa e em cada tempo da história. Você já parou para pensar que Jesus também chama por você, por cada uma das pessoas que fazem parte da sua família?

O seguimento à pessoa de Jesus é algo que acontece como consequência de um verdadeiro encontro com Ele. Algo se transforma e nos faz mudar a rota, por vezes já pensada, planejada. Foi o que aconteceu com Simão!

É André, irmão de Simão, que o apresenta a Jesus. Jesus, “olhando para ele, disse: ‘Tu és Simão, filho de João. Tu te chamarás Céfas’”. Do encontro com o Cristo, Simão não apenas recebe um novo nome, mas toda a sua vida se ilumina e ganha novo sentido, a ponto de influenciar suas escolhas, tendo em vista uma razão maior, à qual vale a pena dedicar-se inteiramente.

Fazer a experiência de sentir-se chamado, chamada por Jesus é fundamental em nossa caminhada como família, como membros vivos da Igreja, pois somente assim podemos revelar o rosto de Cristo ao mundo.

Sejam as palavras deste Evangelho oportunidade para o seu encontro pessoal e familiar com Jesus e com o chamado que Ele lhe faz!

Mery Elizabeth é irmã paulina, bacharela em Teologia e atualmente prossegue os seus estudos na Pontifícia Universidade Gregoriana em Roma. Tem espírito aventureiro, gosta de fazer caminhadas, conhecer lugares diferentes e aprender coisas novas, seja no âmbito intelectual ou religioso, seja no social.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada