Edgar Morin e seu legado

Artigos Recentes

Saiba mais sobre este visionário na área da Educação, considerado um dos maiores pensadores contemporâneos da interdisciplinaridade

Por Robson Stigar

Edgar Morin pode ser considerado um divisor de águas tanto na Educação como na Ciência. Nasceu em Paris, em 8 de julho de 1921. Graduou-se em história, geografia e direito, mas deu ênfase em seus estudos nas áreas de antropologia, epistemologia, filosofia e sociologia. Edgar Nahoum é o seu nome verdadeiro, mas adotou o codinome “Morin” quando serviu como tenente das forças combatentes francesas.

É um entusiasta e visionário na área da Educação, considerado um dos maiores pensadores contemporâneos da interdisciplinaridade. Transita nas diversas áreas do saber, promovendo, assim, um diálogo entre os diversos tipos de saberes e ciências, buscando as mais diversas relações entre todos os mais variados pensamentos possíveis, sendo considerado como um dos maiores intelectuais da Modernidade.

Morin elabora os pressupostos de uma nova racionalidade para um pensar livre, multidimensional, multiocular e, portanto, complexo, a partir dessas influências filosóficas, sociológicas e históricas. Possui uma larga experiência social e educacional e enorme visão panorâmica interdisciplinar. Escreveu inúmeras obras ao longo de setenta anos de atividades ininterruptas de produção intelectual. Dentre essas obras, citamos mais de meia centena de livros, capítulos em livros, prefácios, artigos, dentre outros; porém, sem dúvida, a obra O Método podemos dizer que é a mais relevante e densa, onde expõe o Pensamento Complexo de forma detalhada e aprofundada.

O Pensamento Complexo

Na obra O Método, Morin apresenta como a ciência está “quadrada”, fechada e manipulada pela tecnologia. Procura abordar, a partir do paradigma da complexidade, a teoria e o método na construção do saber, e o desenvolvimento da ciência sob um novo ponto de vista, denominado “Paradigma da Complexidade”.

O seu método começa a construir a chamada “epistemologia da complexidade”, que se contrapõe ao pensamento reducionista e disjuntivo presente na ciência e no mundo acadêmico de forma geral. Pretende reunir o conhecimento, o que o pensamento fragmentado, superespecializado e disciplinar da modernidade rompeu, propondo, assim, uma reforma para o modo de pensar o ser humano, a ciência, a educação e a sociedade.

O pensamento de Morin desenvolve-se a partir da teoria da complexidade. Esta contempla, a partir de uma perspectiva transdisciplinar, os diversos saberes, a fim de produzir um conhecimento amplo e profundo da realidade analisada. Esta perspectiva metodológica nos possibilita perceber que todos os fenômenos são dependentes e interligados. Não se pode admitir que uma realidade seja simples ou isolada, pois tudo possui interconexão e interdependência.

Consciência planetária

A consciência planetária não poderá florescer com base em um pensamento linear, disjuntivo e simplificador; ela é resultante, sem dúvida, de formas de pensar e de agir que contemplem uma visão sistêmica e complexa da realidade. A compreensão da complexidade do universo consiste em percebermos que os componentes ou os aspectos de um todo – econômico, político, ético, biológico, ecológico, mitológico, emocional, sociológico, entre outros – são interligados e inseparáveis, compondo um tecido complementar, inter-relacionado, interdependente e inter-retroativo entre as partes e o todo, e vice-versa.

As características dos tempos atuais que contrapõem, de um lado, os riscos iminentes de autodestruição da humanidade e do planeta, e, de outro, as ricas possibilidades da continuidade da humanidade pelo acesso à pátria terrestre, motivam Morin a propor uma reforma urgente e radical do pensamento educacional vigente, apresentando uma reforma na educação que contemple as diversas dimensões do ser humano, pois o ser humano não consegue viver apenas da racionalidade. Ele necessita do caráter afetivo, do lúdico, do imaginário, do religioso, pois todas essas dimensões são indissociáveis da totalidade do ser humano.

Robson Stigar é doutor em Ciências da Religião pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUCSP).

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada