A importância do descanso para a saúde

Artigos Recentes

Cultive momentos bons e descanse seu corpo, sua mente e seu coração, trazendo benefícios para você e para as pessoas que com você partilham a vida de cada dia

Por Neide Puel

Cultive bons momentos em sua vida. Acredite em seus sonhos, em que a liberdade do seu inconsciente e consciente encontra razões para o seu existir. Acredita-se que, quem sonha também acordado, tem mais qualidade de vida e oportunidades de realizar um bem maior ao redor de si.

Faz-se urgente a necessidade de cultivar bons momentos na vida, momentos estes que servem de trampolim para uma vida responsável mais leve e saudável.

Descansar, fazer algo diferente do rotineiro proporciona experiências novas e traz boa saúde mental, física, emocional e espiritual. Muitas vezes esquecemos até mesmo de prestar atenção em nossa própria respiração, mas, para que isso aconteça, de fato, é preciso desacelerar e buscar espaços “ociosos”, que ajudem no despertar da consciência do ser pessoa em sua integridade.

Cultive momentos bons e descanse seu corpo, sua mente e seu coração, trazendo benefícios para você e para as pessoas que com você partilham a vida de cada dia. Sinta prazer em ser solidário, curta estar junto com um amigo para jogar conversa fora, pratique esporte, faça uma caminhada, assista a um bom filme, ande de bicicleta, ouça uma boa música. Sem dúvida, isso fará um bem imenso e ainda lhe trará leveza e vontade de viver.

A vida é feita de momentos bons e nem sempre bons. Nada é por acaso; cabe a nós desenvolver e aproveitar o potencial que recebemos de Deus, buscando a beleza e a gratidão que nos renova a cada amanhecer.

Contemple o presente no seu cotidiano

Precisamos de tão pouco para viver em paz, mas complicamos o simples em vista da perfeição, que não existe em nossa condição humana.

A rotina do dia a dia em um mundo caótico em que vivemos leva a uma cobrança desnecessária de nós mesmos e dos outros, em busca de experiências extraordinárias, não percebendo que existe muita vida em um cotidiano comum e simples.

É bem provável que o ser perfeito nos seja cobrado a todo instante desde nosso nascimento, tornando-se assim normal para o senso comum, mas não poderemos jamais esquecer que somos finitos e incompletos sem a consciência de que temos um Deus que nos sustenta e quer caminhar conosco; porém, nossa necessidade de autorrealização e autossuficiência nos fecha à autotranscendência que podemos encontrar no valor da criação, que nos coloca em comunhão com Deus em momentos de meditação, escuta e vivência do seu amor revelado no agora de nossa existência.

Momento presente
Pixabay.com/Engin Akyurt

Nossa sociedade atual, cada dia mais hiperativa e hiperconectada, nos impossibilita de viver o momento presente, gerando em nós medo, ansiedade, estresse e depressão, em vista de projeções para o futuro e/ou de escravidão no passado, sendo que o único momento que você pode viver é o agora.

Parar, descansar; é indispensável parar e contemplar o sorriso de uma criança, um lindo pôr do sol, um banho de mar, uma conversa com uma pessoa idosa, brincar, se divertir, cantar, gargalhar. Tudo isso está na essência de nosso ser. Que bom seria se soubéssemos saborear a vida longe dos holofotes, das aparências, e aos poucos sair de nossa zona de conforto e ir ao encontro da vida em suas belezas.

Bom seria contemplar o que está ao alcance do nosso coração, pois, quando partirmos desta terra, talvez alguns se interessem pelo que deixaremos de bens materiais, mas quem conheceu nosso coração vai querer herdar e contemplar nossa alegria de ter vivido, insistindo e apostando no amor.

Brincar em família

Na vida familiar, o lúdico é extremamente necessário para o desenvolvimento integral de cada um de seus membros. Pais que brincam e jogam com seus filhos adquirem, no seio da família, um espaço fantástico para o desenvolvimento sadio de seus filhos. O intuito é educar se divertindo, despertando, assim, o prazer de estar juntos através de uma dança, jogos, assistindo a um bom filme. Certamente, essa forma de descansar e se divertir junto proporcionará a sociabilidade em uma interação criativa e prazerosa.

Neste tempo de pandemia que vivemos, faz-se necessário resgatar o positivo de tudo isso no convívio familiar, em que a família nuclear conquistou maiores espaços de intimidade, possibilitou aprendizado e conhecimento mútuo, gerando memórias afetivas indissolúveis.

O lúdico em família é fundamental para a vida da criança, pois o papel do brincar estabelece uma conexão entre o mundo real e o imaginário, favorecendo na criança o interesse para uma interdependência em que ela aprende que é preciso assumir a realidade da vida com maior leveza e corresponsabilidade, em um ambiente de interdependência. Depender uns dos outros nos faz pessoas inteiras e felizes, valorizando a felicidade do outro.

Vale ainda ressaltar que o desenvolvimento na vida espiritual, o encontro com Deus, passa pelos afetos experimentados em nossas famílias; afetos estes que são adquiridos em momentos prazerosos vividos entre pais e filhos.

Neide Puel é consagrada da Congregação das Filhas de São Paulo. Mestre em Psicologia pela Pontifícia Universidade Gregoriana de Roma. Desejosa de encontrar, no mais profundo de cada pessoa, o Divino que a transcende.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada