AmorEscentes: conheça o grupo que aproxima adolescentes da igreja e da família

Artigos Recentes

Projeto surgiu durante a pandemia com a intenção de acolher adolescentes, jovens e mantê-los em contato com a Igreja

Por Luciana Rocha

Amor: substantivo masculino; sentimento afetivo que faz com que uma pessoa queira o bem de outra; zelo; dedicação. AmorEscentes: grupo de pré-adolescentes e adolescentes, organizado em uma paróquia de Belo Horizonte (MG), que trouxe um significado especial para dezenas de famílias.

Tudo começou em maio de 2020. Em plena pandemia da Covid-19, algumas mães perceberam que os filhos estavam “sem lugar”, sem encontros com amigos, apenas dentro de casa. As celebrações eucarísticas já estavam liberadas e esse seria um local apropriado para aproximação e fortalecimento da fé.

Foi então que a empreendedora Sheyla Corrêa dos Santos, mãe do Gabriel, 15 anos, e do Guilherme, 14 anos, teve a ideia de organizar um grupo. “Desde o início da pandemia tenho tentado assistir à missa em família, tento manter a fé dos meus filhos acesa. É um desafio, pois sabemos que os adolescentes são questionadores e rebeldes, na maioria das vezes. Isso faz parte do ciclo natural”, comenta.

Sheyla conta que foi em quatro missas voltadas para jovens, em diferentes paróquias. Mas ela percebeu que os jovens tinham mais de 18 anos e ela não conseguiria atingir o objetivo: empolgar os filhos para irem à missa. Então, pensou em juntar outras famílias com adolescentes em casa para irem à missa, no mesmo horário. Ela convidou vinte mães e surgiu o grupo que não é ligado a nenhuma pastoral.

O grupo se organiza sempre depois das celebrações e realiza um lanche coletivo. “Eu quis resgatar o antigamente. A gente ia à missa e depois à pracinha para nos divertir. E a ideia é um sucesso. Vamos juntas construir uma linda história de fé junto de nossos filhos!” Para Gabriel, filho de Sheyla, “ser amorescente é só alegria!”. “Em cada encontro gostamos mais de ir à igreja e de entendemos mais sobre a nossa religião. Ser amorescente é companheirismo, amizade, diversão, é ‘amar, amar, amar’!”

AmorEscentes

O nome, de acordo com Sheyla é utilizado pela psicóloga Lúcia Helena. “Adolescentes são chamados, muitas vezes, de ‘aborrecentes’, e é necessário espalhar amor. Então surgiu AmorEscentes. São nossos amores, nosso bem maior”, enfatiza Sheyla.

O objetivo do grupo é acolher e catequizar, através de gestos concretos e de uma maneira leve, jovens de 11 a 17 anos. Atualmente, 63 famílias participam e, em média, cem pessoas vão às celebrações aos domingos.

Além das missas, há projetos sociais de acordo com o mês (setembro amarelo, Natal), palestras, teatros, passeios, festas. “Para este ano, estamos planejando ir à Serra da Piedade, padroeira de Minas Gerais, em Aparecida do Norte, na Canção Nova, Crisma, em mais ações sociais, em cartinhas para o Papa Francisco”, destaca Sheyla.

As irmãs Ana Clara Moreira Pereira, 14 anos, e Maria Eduarda Moreira Pereira, 15 anos, foram convidadas por Sheyla para participarem do grupo. “Começamos a participar ativamente desde o início, quando ainda tinham poucas famílias. Participar do grupo é uma experiência muito boa. Os encontros pós-missa nos incentivam a assistir às missas, pois podemos conhecer e socializar com pessoas incríveis. Nos demais encontros também aprendemos e refletimos sobre diversos aspectos da vida. Além disso, temos a oportunidade de realizar ações concretas de solidariedade”, enfatiza Ana Clara.

Maria Eduarda fala que se aproximou de Jesus Cristo participando do grupo. “Através do AmorEscentes percebemos ainda mais como Jesus está presente em cada um de nós e como podemos fortalecê-lo dentro de nós através da partilha, da solidariedade e do amor ao próximo.”

A fisioterapeuta Juliana Magalhaes Machado Barbosa é mãe de uma adolescente de 13 anos que há sete meses participa do grupo. “É lindo ver os filhos como protagonistas do grupo. Estamos felizes com a participação da Isabela. Nós tivemos a experiência do grupo de jovens e queríamos muito que ela também pudesse ter esse alicerce em sua formação.”

Acolhida

Sheyla afirma que a Paróquia Nossa Senhora de Nazaré, localizada no bairro Santa Inês, em Belo Horizonte, recebeu o grupo de braços abertos, apoia os projetos e lhe dá total autonomia. O pároco Ulysses Roberto Lio Trópia explica que foi procurado pelos coordenadores que buscavam uma porta aberta na pandemia para que os pais e seus filhos participassem da Eucaristia. “Eles me contaram as dificuldades enfrentadas, narraram o propósito do grupo e eu os acolhi. A missa das 17h não existia e, com a pandemia, a paróquia abriu novos horários. Os AmorEscentes assumiram a liturgia e a música, e coordenam toda a celebração. Além disso, abri as portas do Centro Comunitário para eles”, destaca.

adolescentes
Ana Beatriz. Foto: Arquivo Pessoal

Padre Ulysses diz que a porta da Paróquia deve estar sempre aberta para novos grupos e projetos. “O Padre é ponto de unidade e de articulação dos dons. Cabe estarmos dispostos a fazer com que a Igreja manifeste a riqueza de seus ministérios, sempre na Unidade do Corpo de Cristo”, finaliza.

Adolescentes
Ana Laura. Foto: Arquivo Pessoal

“Ser AmorEscente é participar das missas, dos encontros semanais, das tarefas beneficentes para nosso crescimento espiritual. É fazer novos amigos e crescer juntos. Participar deste grupo me fez sentir mais motivada para ir à missa e de pensar mais no próximo.” Ana Beatriz de Mendonça Ferreira, 12 anos

Adolescentes
Bruna Teixeira de Souza. Foto: Arquivo Pessoal

“Eu não gostava desse lance de ter que ir à missa, era tudo muito chato! Eu ficava até emburrada na igreja. Daí minha mãe começou a me chamar para ir às missas; no começo, eu continuava achando tudo sem graça. Com o passar do tempo, fui fazendo amizades e o pós-missa era o prêmio. Hoje eu até gosto de ir à missa; tem vez que sou eu quem chamo minha mãe. É muito legal fazer parte dos AmorEscentes.” Ana Laura Lopes Oliveira, 14 anos

“Ser AmorEscente é aproveitar seu encontro com Deus com companheiros incríveis. É se doar por inteiro e ser você, com um toque de Deus. Somos adolescentes que, por mais que sejamos da Igreja, não deixamos de aproveitar. Fazemos festas, temos rolês, gravamos vídeos, e, mesmo com isso tudo, não perdemos nossa fé e nosso contato com Deus.” Bruna Teixeira de Souza, 14 anos

Adolescentes
Miguel. Foto: Arquivo Pessoal

Isabela Magalhães. Foto: Arquivo Pessoal

“Ser AmorEscente é ser parte de uma comunidade em que todos os dias aprendemos, crescemos e vivenciamos experiências novas e incríveis. É ser amada e amar o próximo, ter fé em Cristo e crescer na Igreja e na vida todos os dias. É dar chance para experiências e pessoas que você nunca achou que daria.” Isabela Magalhaes Machado Barbosa, 13 anos

“No começo dos AmorEscentes eu ia à missa para agradar a minha mãe, porque não achava a menor graça, mas queria ser legal com ela. Depois fui fazendo amigos e ficou mais fácil ter vontade de ir à igreja. Depois da missa, tem os encontros, onde a gente conversa com os amigos, participa dos eventos e faz um lanche coletivo. Já teve gincana, parque e viagem!” Miguel Lopes Silva Oliveira, 12 anos

Luciana Rocha é jornalista, especialista em Jornalismo e Práticas Contemporâneas e mestra em Comunicação Social e Tecnologia. É mãe da Beatriz, acredita no bem e sonha com um mundo mais humano e justo. Deus sempre em primeiro lugar!

2 COMENTÁRIOS

  1. Muito bacana esse trabalho, merece todo o reconhecimento. Deus continue abençoando, nossos Adolescentes estão muito carentes desse Amor do próximo…

  2. Projeto sensacional!!! Tive a oportunidade de ajudar numa celebração e participar de um encontro após a missa e realmente é muito bacana. Jovens muito animados, unidos e o melhor de tudo, buscando um propósito maior na vida que é buscar e servir a Deus. Parabéns pra Sheyla, Davi e todos os outros que dão suporte a esse projeto tão bonito!!! Que Deus lhes abençoe!!!

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada