Família e trabalho: desafios e oportunidades

Artigos Recentes

Respirar um futuro melhor

“Não posso respirar!” É um grito dramático, é o grito da vida. Abala global e localmente qualquer consciência social, ecológica, econômica...

Crônicas interativas

Juntos, apresentaremos aos outros leitores uma nova obra de arte: crônicas interativas sobre fatos do cotidiano...

Por Everton Barbosa

Com a nova realidade estabelecida por causa da pandemia da Covid-19, o trabalho em casa, o escritório domiciliar, fez a arquitetura das residências se adaptarem imediatamente aos novos desafios. A sala, o quarto, a cozinha, qualquer cômodo virou escritório.

Como trabalhar em casa, com os filhos conversando, fazendo bagunça, sem ir para a escola? Homens e mulheres que antes tinham suas vidas organizadas em caixinhas bem definidas, agora tentam otimizar o tempo de uma forma jamais imaginada. Tudo junto e misturado.

O lado positivo do home office

Trabalhar em casa, com os filhos o tempo todo ao lado, pode ser algo positivo. Já ouvi mães agradecendo essa oportunidade. Dizem que faz bem ficar perto dos filhos o dia todo. Por outro lado, muitas famílias não têm condições básicas de espaços que acomodem todos os seus membros com o devido conforto. O tempo escolar faz falta, pois, para muitos, a escola é um lugar em que crianças fazem suas principais refeições do dia, brincam, se relacionam com os amiguinhos.

Num país em que grande parte das famílias sobrevive em barracos, não se pode desejar que o home office dê certo para todos. Com o olhar da fé, podemos perguntar: como nossas famílias podem aproveitar este novo tempo para ter mais qualidade no convívio familiar, tendo o escritório dentro de casa?

Pistas para, juntos, tentar superar esse momento com o menor desgaste possível

Primeiro: não adianta querer viver a nova realidade com hábitos do antigo normal. Se temos que trabalhar em casa, temos que ter apoio de todos os membros da família, respeitar, fazer silêncio, ter acordos de horário definidos para o uso do computador, do celular etc. É uma negociação constante entre todos.

Ketut Subiyanto – Pexels

É preciso fazer perguntas, por exemplo, quando a TV está ligada com o som alto e alguém está trabalhando no escritório: “Meu filho, a mamãe precisa de silêncio agora. Se eu te atrapalhasse ao ver o seu desenho na TV, você ficaria feliz ou bravo? Então, por favor, abaixe o volume agora e depois você poderá aumentar. Combinado?”.

Acordos simbólicos ajudam na harmonia familiar. As crianças estão ansiosas. Longe dos amiguinhos, elas também sofrem muito com a privação do ir e vir. Os pais precisam entender isso também. Enfim, não é um tempo fácil. Paciência, empatia e resiliência são palavras que, como nunca, terão que ser postas em prática.

Quando acordos bem-sucedidos acontecem no ambiente familiar, há espaço para a criatividade, o empreendedorismo floresce, novas ideias surgem, e isso impacta a vida econômica da família. Muitas pessoas estão paralisadas, sem ideais e iniciativas, devido à pressão familiar. Ficar em casa precisa, urgentemente, ser algo prazeroso. É um exercício. 

Será feliz e bem-sucedido quem souber dosar os desafios com as oportunidades deste tempo. Que Deus nos abençoe e nos dê sabedoria.

Everton Barbosa é jornalista, autor do livro Empreendedores católicos – O poder da fé na gestão dos negócios. Não consegue trabalhar sem antes rezar. Vive intensamente no mundo da reflexão e da ação.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada