Já sou assinante!

Ainda não é assinante?

Identifique-se para ganhar mais 2 artigos por semana!

ou

ou Assine Já

Vivendo na “Terra do Nunca” - Revista Familia Cristã

Vivendo na “Terra do Nunca”

Artigos Recentes

Pessoas que têm dificuldade em amadurecer e assumir as responsabilidades do mundo adulto, vivem uma eterna adolescência

Por Rodrigo Simões

A partir da publicação do livro “Síndrome de Peter Pan – O homem que nunca cresce”, em 1983, do psicólogo norte-americano Dan Kiley, passou-se a utilizar este termo para descrever a grande dificuldade que alguns indivíduos têm de se enxergar como adultos, desvencilhando-se do seu papel de criança, crescendo de verdade. 

Segundo o conto original de James Matthew Barria, Peter Pan era um rapaz que se recusava a crescer e saía pela “Terra do Nunca” em busca de aventuras mágicas. 

São homens e mulheres infantilizados, que têm dificuldade em amadurecer e assumir as responsabilidades da vida adulta, vivendo uma eterna adolescência. Buscam “curtir”, sem maiores compromissos, fugindo da realidade. Podem apresentar excesso de vaidade, o que se torna visível pelo cuidado excessivo com o corpo e a forma de se vestir, geralmente incoerente com a idade, e têm baixa tolerância à frustração, não aguentando ser contrariados. Mesmo agindo constantemente de forma infantil, imatura, rebelde e inconsequente, ainda querem ser compreendidos e aceitos em sua forma de ser. Essa resistência em crescer é mais comum entre os homens e pode afetar a vida acadêmica, profissional e amorosa daqueles que perpetuam comportamentos infantis.

Não quero envelhecer

Por suas mentes continuarem a morar em suas infâncias, rejeitam os papéis de pais, esposos e profissionais e ficam imersos em um universo particularmente cheio de comportamentos infantilizados. Por isso mesmo, seus hobbies, brincadeiras e preferências alimentares ainda são associados a essa época, pois se negam a envelhecer, o que interfere diretamente em sua qualidade de vida em todas as esferas.

Nesse sentido, são observados na vida adulta problemas de ordem sexual, psicológica, financeira e social, além de forte dependência emocional e econômica dos pais. Além disso, apresentam comportamento narcisista, que faz com que sofram sérios bloqueios em suas relações e tenham dificuldade em assumir e manter relacionamentos amorosos duradouros.

Você já se deparou com aquela pessoa que “faz bico” ou “fecha a cara” quando discordam do que ela pensa ou fala? A atitude infantil diante de superiores ou companheiros remete à “birra” de uma criança que leva bronca da mãe. Ao adotarem comportamentos incompatíveis com o mundo adulto, essas pessoas ficam presas na “Terra do Nunca”, se afastando das exigências do mundo real e se escondendo em um mundo de fantasia.

Virando adulto

Freepik.com

O tratamento para a Síndrome de Peter Pan é feito por meio de psicoterapia, que ajuda o paciente a entender o seu processo de desenvolvimento humano e sua real identidade, para conseguir trilhar a vida adulta com sucesso. Durante a análise, geralmente são encontrados comportamentos distorcidos, provenientes do convívio com os pais, bem como do ambiente familiar, que constituem repetição de padrões e limitam o amadurecimento. Pais imaturos, que têm dificuldades em impor limites e submeter os filhos à frustração saudável, tendem a ter filhos infantilizados. 

A partir desse reconhecimento, o indivíduo consegue trabalhar em favor da eliminação desses bloqueios e limitações, que podem ter como consequências falta de autoestima, depressão, síndrome do pânico, entre outros distúrbios, que nos inibem no processo de evolução.

Vivemos em um mundo em crise. Necessitamos de pessoas coerentes, responsáveis, com valores sólidos e comportamento assertivo. Foi isso o que Jesus moldou em seus discípulos e deseja moldar em nós também. Que nossa fé nos leve a uma busca de santidade verdadeira, que incluiu um caminho de amadurecimento humano também verdadeiro. 

Rodrigo Simões é sacerdote há dezessete anos e pároco da Paróquia Nossa Senhora do Rosário. Psicólogo especializado em atendimento clínico, pela abordagem da Terapia Cognitivo Comportamental, e fundador do Espaço Terapêutico Coração Jovem. Coautor do livro Um Coração Bem Cuidado, publicado pelas editoras Santuário e Canção Nova. Apaixonado pelo desenvolvimento do ser humano, orquídeas e cachorros, vê na natureza as impressões digitais do Criador.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada