Já sou assinante!

Ainda não é assinante?

Identifique-se para ganhar mais 2 artigos por semana!

ou

ou Assine Já

Namoro, tempo de construção de um projeto comum

Namoro, tempo de construção de um
projeto comum

Artigos Recentes

O namoro é a preparação para o matrimônio; confira dicas para viver bem esse tempo

Por Christiane Sales

É muito comum entre os casais apaixonados um encantamento que chega a ser ingênuo nos primeiros meses de relacionamento. Os gestos de afeto e carinho, o desejo de estar junto em toda e qualquer oportunidade, a expectativa de agradar e corresponder ao que o amado espera, tudo isso se encontra muito presente nesse tempo em que o apaixonamento inicial e a idealização da pessoa amada estão mais aflorados. No entanto, pela perspectiva cristã, o namoro deve ser encarado como uma etapa para um projeto maior, o matrimônio, e, se não vividas corretamente, essas características iniciais podem dificultar a construção das bases de um bom casamento. 

Padre Matheus Pigozzo explica que o namoro deve ser encarado como um período de discernimento. “O namoro deve ser visto como uma preparação para um sim importante, como um aprendizado sobre o que verdadeiramente é o matrimônio, pois a cultura atual não forma a juventude para a vida familiar. Aquilo que se recebia naturalmente de casa e dos costumes da sociedade, hoje, deve ser buscado pessoalmente”, explica.

Amor
Pexels.com/ Andre Furtado-1417255

De acordo com o sacerdote, que exerce um trabalho de acompanhamento de casais, “um namoro sadio é feito de partilha, formação, oração e busca de virtudes, para o casal desenvolver a missão que vai assumir”.

É dessa forma que Maria Castro, 25 anos, e Gabriel Teixeira, 24, encaram o relacionamento deles. O namoro, de mais de três anos, é tratado pelo casal como uma etapa para a construção de um projeto familiar comum. “No nosso namoro a gente aproveita para se conhecer mais, tornarmo-nos mais amigos. Buscamos ser livres um com o outro para poder ir crescendo juntos. Com isso, a gente vai dando passos firmes e concretos para o matrimônio. Percebo que o diálogo e a transparência têm que estar muito presentes no matrimônio e isso é algo que a gente busca cultivar”, conta Gabriel. 

Diálogo e transparência

Para haver diálogo e transparência é importante buscar o autoconhecimento, alerta a psicóloga Neuma Santos. De acordo com a profissional, um dos perigos que se corre no namoro é a pessoa adotar posturas extremistas: sendo radical demais, impondo sua opinião a todo custo, ou sendo permissivo, cedendo sempre com o desejo de agradar em tudo. 

Namoro
Freepik.com

“O autoconhecimento vai ajudar a começar o namoro sem grandes expectativas, trabalhando com a verdade. Não adianta colocar máscaras, querer ser bonzinho, ser perfeitinho. Na vida real isso não funciona. Namoro é um investimento. Você está namorando porque é o início de um projeto feito por pessoas humanas, e não por anjos. Por isso é importante cultivar o diálogo, colocar o que você está percebendo, o que você quer”, lembra a psicóloga.

Pensando em cultivar a verdade no relacionamento, a estratégia adotada pelo casal Juliana Silva, 26 anos, e Matheus Furtado, 28, foi conhecer um ao outro também a partir da convivência com pessoas mais próximas. “A gente gastava muito tempo um com outro, mas também queríamos nos conhecer através das pessoas próximas. Morávamos longe e não tínhamos muitos amigos em comum. Por isso, eu amava ir à casa dele, escutar a mãe e os irmãos contando sobre ele. Eu ia conhecendo-o não só por aquilo que ele me apresentava, mas também pelo que as pessoas próximas iam mostrando dele. E ele fez o mesmo em relação a mim”, lembra Juliana. Casados há três meses, eles enxergam nesse gesto uma das bases para a transparência e a sinceridade que existe entre os dois hoje.

Namoro
Pexels.com/Budgeron bach-6532620

Dicas para viver bem o tempo do namoro

  1. Cultive virtudes básicas para um casamento saudável
    Para definir as virtudes a serem trabalhadas, padre Matheus Pigozzo indica pensar na finalidade do casamento. “Busquem se formar olhando para a missão que Deus espera de um casal. A primeira finalidade: gerar e educar; a segunda: o bem e o auxílio mútuos. O namoro, tendo em vista os fins do matrimônio, é uma autoavaliação. Tenho buscado adquirir as virtudes para ser pai e esposo, mãe e esposa? Trabalho meu egoísmo, crescendo em humildade para servir e amar, ou tenho me fechado em mim mesmo/a?”
  1. Cultive um olhar de esperança sobre o outro
    É comum na convivência a dois surgirem sentimentos de mágoa e decepção diante de algum erro do companheiro. Para isso, Juliana recomenda aprender a olhar com esperança para o namorado. “Não desistam pelas cruzes que aparecem no caminho. No nosso caminho surgiram algumas, mas, nessas horas, buscamos firmar nossa decisão por quem o outro é, por quem ele deseja ser e não pelos seus erros. Eu me apaixonei pelo meu esposo e por esse desejo dele de querer melhorar, de querer avançar, de querer crescer. Por isso, eu aconselharia: se apaixone e se decida pela pessoa por quem ela é, por quem ela busca ser.”
  2. Cultive o diálogo e a transparência
    Os entrevistados ouvidos por esta reportagem foram unânimes em indicar estas duas atitudes como fundamentais para os casais de namorados que pretendem construir juntos as bases para um bom casamento. “É muito legal a gente se expor. Às vezes a pessoa faz algo que nos magoa e a gente fica com medo de expor, preocupado com o que ela pode pensar. Mas é muito bom quando fazemos isso, porque você ajuda o outro a perceber que aquilo não faz bem para você. E isso também é um ato de amor”, explica Gabriel.

Christiane Sales é jornalista e redatora. Gosta de viajar e de conhecer lugares novos.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada