Já sou assinante!

Ainda não é assinante?

Identifique-se para ganhar mais 2 artigos por semana!

ou

ou Assine Já

Menstruação: o diagnóstico do nosso corpo - Revista Familia Cristã

Menstruação: o diagnóstico do nosso corpo

Artigos Recentes

Nosso sangue reflete a nossa saúde; observar como ele está nos ajuda a tratar precocemente doenças e patologias

Por Michele Hister

Para a milenar Medicina Tradicional Chinesa, menstruar é um verdadeiro presente, pois é uma oportunidade de limpeza do corpo da mulher, todos os meses. No entanto, para muitas delas, menstruar é sinônimo de sofrimento e desconforto. É importante observar alguns sinais: cólicas incapacitantes, sangue com coágulos maiores que uma moeda de 1 real, sangue com muito fluxo e período menstrual com mais de sete dias mostram que algo não vai bem com sua saúde ginecológica.

Sinal de saúde é um sangue com poucos coágulos, sem ou com poucas cólicas, e três a quatro dias de período menstrual. Não menstruar (se você está em idade fértil) também é sinal de que seu corpo está pedindo ajuda. Dessa forma, o nosso sangue menstrual fala muito mais da nossa saúde do que poderíamos imaginar.

Antigamente, a menstruação era sinônimo de vergonha, e até nos comerciais de absorventes o sangue menstrual era representado pela cor azul. Menstruar também era (e ainda é) considerado sinônimo de perda de tempo, de vulnerabilidade. Estamos em um grande processo de transição e falar da nossa saúde ginecológica é extremamente importante. Nosso sangue mostra como estamos, como passamos nosso mês, e observar como ele está nos ajuda a tratar doenças e patologias precocemente. Procure sempre estar em dia com suas consultas médicas!

Alimentação para um ciclo saudável

Para que um ciclo menstrual seja saudável, é muito importante que você cuide muito bem da sua alimentação. Consumir alimentos inflamatórios, como leite e derivados, açúcares refinados em excesso, café e bebidas alcoólicas aumentam as chances de menstruações dolorosas.

Na semana anterior a sua menstruação, procure evitar ou reduzir estes tipos de alimentos e aumentar o consumo de alimentos verde-escuros, como brócolis e couve, pois, para a Medicina Chinesa, eles auxiliam no bom funcionamento do nosso sangue. Também para a Medicina Chinesa, é importante que esses alimentos sejam cozidos ou refogados, porque as temperaturas muito frias fazem com que nosso corpo sinta mais dores. Sementes de linhaça triturada e de abóbora tostada (1 colher de sopa de cada), colocadas por cima dos alimentos, auxiliam no equilíbrio hormonal.

Outro ponto muito importante é que você evite andar de pés descalços e faça escalda-pés com frequência na semana que antecede a menstruação. Sim, aquele escalda-pés que nossos avós faziam, algo bem simples, mas com poder medicinal poderoso. Essa prática ajuda também para que nossa mente descanse, pois, para os chineses, pés frios é sinal de mente agitada e ansiosa. Evite atividade física intensa nessa fase, permitindo que seja um tempo de recolhimento e autocuidado.

Os óleos essenciais são extratos puros da planta e apresentam efeitos medicinais muito potentes. É importante usar com cautela, pois não é por ser natural que devemos não ter cuidado. Indico nesse caso os óleos essenciais de camomila romana (Anthemis Nobilis) e laranja doce (Citrus Aurantium Dulcis).

A proporção é uma gota de cada óleo diluído em 1 colher de sopa de óleo vegetal de gergelim ou uva. Passe no abdômen (abaixo do umbigo) e tornozelos. Nunca use óleo essencial de forma pura na pele ou o ingira. Esses óleos são encontrados em casas de produtos naturais ou em farmácias de manipulação.

Os chás indicados para essa fase são o de camomila, na fase menstrual, e o de erva-doce, na semana anterior à menstruação, em forma de infusão. Consuma 1 xícara por dia. Mas lembre: nenhuma destas dicas substitui o atendimento médico!

Contaminantes

Freepik.com

Os xenoestrógenos, parabenos, petrolatos são poluentes encontrados nas embalagens plásticas e absorventes descartáveis. É de suma importância que você diminua a exposição a esses poluentes, pois cada vez mais estudos têm demonstrado a influência deles na nossa saúde ginecológica e fertilidade. Substitua os absorventes internos e os descartáveis pelos coletores menstruais e os absorventes de pano. Eles são extremamente seguros e confortáveis.

Evite também tomar café, chá e água em copos de plástico, dando preferência para as embalagens de vidro ou porcelana. Isso vale também quando for esquentar seus alimentos no micro-ondas, evitando usar embalagens plásticas. Os desodorantes sem alumínio também auxiliam na saúde de nossos seios, pois não interrompem a transpiração.

Use também cosméticos, xampus, sabonetes e esmaltes naturais, livres de parabenos e petrolatos. Evite usar sabonetes íntimos, pois eles interferem na flora vaginal (aumentando a candidíase). Qualquer mau cheiro nessa região ou corrimento atípico deve ser investigado com seu ginecologista.

Parte emocional

Esse é um momento em que nossos hormônios estão mais baixos, e é normal sentir certo cansaço e indisposição. Tente ouvir seu corpo e evite se expor a atividades muito exaustivas, como atividades físicas intensas ou discussões acaloradas.

Nessa fase, peça ajuda das pessoas próximas, permita ser cuidada. Se isso tudo não for possível, tente ao máximo respeitar seu corpo e seus limites. Deixe para tomar decisões importantes depois dessa fase, em que seus hormônios estão mais elevados e você tem mais disposição. No entanto, se sentir uma tristeza fora do normal, é extremamente importante buscar ajuda profissional.

Manter uma constância de bons hábitos alimentares, fazer acupuntura, atividade física e cuidar de suas emoções são atitudes que colaboram para um bom ciclo menstrual. Seu sangue é seu guia mais precioso, cuide bem dele!


Michele Hister é Naturóloga, Acupunturista e Consteladora Familiar. Trabalha com atendimento voltado para a saúde da mulher há 14 anos e disponibiliza dicas para equilíbrio do ciclo menstrual, em seu Instagram: @michelehister.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada