Já sou assinante!

Ainda não é assinante?

Identifique-se para ganhar mais 2 artigos por semana!

ou

ou Assine Já

Future skills: habilidades que robô nenhum substituirá - Revista Familia Cristã

Future skills: habilidades que robô
nenhum substituirá

Artigos Recentes

Como as soft skills podem superar os desafios do mercado de trabalho e das relações sociais

Por Marcos José Zablonsky

O contexto que o mundo está vivendo com a pandemia e a forte recessão global relacionada de 2020 criaram uma perspectiva altamente incerta para o mercado de trabalho e aceleraram em algumas décadas a chegada do futuro do trabalho. O Fórum Econômico Mundial divulgou, no final do ano passado, um de seus relatórios mais importantes “O Futuro do Trabalho”, e ele veio com informações relevantes para ajudar a entender o mundo do trabalho e como devemos buscar alternativas para se preparar para o novo contexto que se aproxima.

No conjunto do relatório foram identificados dez soft skills (competências comportamentais) que tendem a ser mais valorizadas pelos recrutadores e gestores das grandes empresas e que devemos aprimorar ao longo da vida:

1. Pensamento analítico e inovação

2. Aprendizagem ativa e estratégias de aprendizado

3. Resolução de problemas

4. Pensamento crítico

5. Criatividade

6. Liderança

7. Uso, monitoramento e controle de tecnologias

8. Programação

9. Resiliência, tolerância ao estresse e flexibilidade

10. Raciocínio lógico

Competências avaliadas

Profissionais que possuem competências comportamentais desenvolvidas têm maior facilidade de se adaptar a diferentes ambientes e obter melhores resultados. Assim como lidar com situações adversas e complexas, e outras características vistas como fundamentais pelas organizações. É por isso que os recrutadores têm priorizado profissionais que demonstrem competências comportamentais desenvolvidas. Quem está se preparando para entrar no mercado de trabalho ou deseja manter sua competitividade, deve olhar para essas competências e verificar quais precisam ser aprimoradas. 

Muitas vezes, as soft skills são até mais determinantes para a seleção do que o próprio conhecimento técnico – aquele que você adquire com um diploma. Isso acontece porque se acredita ser mais fácil desenvolver alguém tecnicamente do que mudar hábitos e comportamentos pessoais.

Soft skills e hard skills 

Ah, para deixar mais clara a diferença entre soft skills e hard skills, podemos dizer que as soft skills estão relacionadas com capacidades humanas de lidar com problemas e desafios no dia a dia. Diferente das hard skills, que são habilidades técnicas de saber fazer e de fácil mensuração. 

As soft skills dizem respeito a habilidades de difícil mensuração e que dependem da interação e da relação com os outros, e não apenas de questões técnicas e individuais. Alguns exemplos: facilidade na comunicação, colaboração, flexibilidade, inteligência emocional e criatividade em ambientes cada vez mais colaborativos. São muitas as habilidades em alta, e não necessariamente os profissionais precisam desenvolver todas em alto nível.

Habilidades a serem desenvolvidas

Freepik.com

Para saber qual habilidade você deve priorizar, é necessário considerar dois aspectos: primeiro, entender o que a sua função atual ou a função para a qual você quer se candidatar demanda mais; e segundo, entender quais habilidades você já possui e que, portanto, seriam mais facilmente aprimoradas. As empresas, na hora de escolher seus líderes, também estão de olho em profissionais que entendem a importância das soft skills e que procuram aprimorá-las e exercitá-las. Portanto, a aprendizagem ao longo da vida é um dos pilares das skills na educação, que incentiva a aquisição de conhecimento de forma ininterrupta, obtendo certificados e qualificações novas sempre que necessário, para que seja possível acompanhar o progresso tecnológico e industrial.

Se você tem esse desejo de melhorar suas habilidades a todo momento e quer aprender a enxergar no dia a dia as oportunidades para ser um profissional bem qualificado, deve incorporar em si o desejo de se tornar um profissional em constante evolução.

Dicas para melhorar o aprendizado

Aqui vão algumas práticas e atitudes que você deve adotar para melhorar seu aprendizado. Observar as pessoas que possuem essas características e incorporá-las aos poucos na sua prática diária. Acompanhar blogs, sites e influenciadores que abordam questões do seu universo profissional e do campo das ciências humanas e sociais. Aprender precisa ser algo que você queira, em vez de uma regra ou um dever. Essa perspectiva vai facilitar qualquer novo conhecimento. Ter aprendizagem ativa é expandir sua capacidade de assimilação, compreensão para além dos livros e cursos, e as avaliações dos erros são excelentes formas de aprendizagem.

Ser curioso e procurar fazer as coisas de maneira diferente sempre estimula a criatividade, o raciocínio e a inovação. Sair do piloto automático no dia a dia, trabalhando ou não, pode trazer diversas ideias e conexões. Além disso, um mentor, pessoa que tem experiência na habilidade ou no assunto que você queira aprender, é sempre muito bem-vindo. Para quem anda com os olhos abertos, toda situação é uma chance de aprender.

Prof. Dr. Marcos José Zablonsky é bacharel em Relações Públicas, doutor em Educação com ênfase em Políticas Públicas, professor da Escola de Belas Artes da PUC-PR, nos cursos de Comunicação e Artes, e na Slash Education.

1 COMENTÁRIO

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada