Já sou assinante!

Ainda não é assinante?

Identifique-se para ganhar mais 2 artigos por semana!

ou

ou Assine Já

Educação financeira infantil: o futuro em suas mãos

Educação financeira infantil: o futuro em suas mãos

Artigos Recentes

Em tempos de crise financeira, ensinar os filhos a “cuidar” do dinheiro pode ser o melhor caminho para torná-lo um adulto responsável

Por Jaqueline Dubas

A educação financeira ainda é um tabu dentro das famílias e também nas escolas. Mas, em tempos de crise financeira, o tema pode ser a melhor saída para ensinar os pequenos a guardar aquele dinheirinho da mesada ou o que ganhou da vovó. Isso porque a criança aprenderá a gastar e se tornará um adulto consciente, sem aquele consumismo exagerado ou acúmulo de dívidas desnecessárias.

Mas por que os pais ainda insistem em achar que o assunto financeiro é apenas para adultos? A educação financeira precisa ser estimulada desde criança, pois se relaciona com economia e compreende a sabedoria de gastar o necessário, por isso, tanto os familiares quanto a escola têm o dever de transmitir esse ensinamento.

Passo a passo para estimular a educação financeira em casa

O primeiro passo é os pais serem exemplos no que se diz respeito ao ato de lidar com o dinheiro, não sendo, por exemplo, um adulto consumista. Assim, terão credibilidade para conversar com seus filhos.

Para tanto, outra boa dica é o bom e velho cofrinho, que é uma maneira eficaz de inserir a criança na vida financeira. Para isso, o estímulo começa quando a criança ajunta dinheiro para comprar algo. Outro passo importante é levar os pequenos para o supermercado e, através do exemplo dos pais, demonstrar como realizar compras pensando apenas no necessário, além de estimular a economia.

Educação financeira nas escolas

A educação financeira está prevista no documento de Orientações para Educação Financeira nas Escolas, com o objetivo de preparar as gerações futuras para desenvolver competências e habilidades necessárias para lidar com a vida financeira no dia a dia.

Em 2020, a disciplina de educação financeira tornou-se obrigatória nas escolas, sendo possível abordar o tema não somente na aula de matemática, mas em diferentes componentes ou em projetos que visam trabalhar habilidades socioemocionais e reforçar a conexão entre o ensino e a realidade das crianças. Portanto, todas as escolas de ensino fundamental já estão em fase de adaptação para a inserção da disciplina de educação financeira, de acordo com a Base Nacional Comum Curricular (BNCC).

Katerina Holmes – Pexels

Por meio de pesquisas realizadas pelo Serasa Experian, em janeiro de 2020, foi apontado que no Brasil mais de 63 milhões de pessoas são inadimplentes, um aumento de 2,6% em relação a 2019, o que significa que 40,8% da população têm dívidas, demonstrando, com isso, uma defasagem na educação financeira no Brasil. Logo, uma disciplina que ensina a lidar com o dinheiro e a economia, pode trazer resultados a longo prazo nas gerações futuras.

Em um relatório divulgado pelo Programa Internacional de Avaliação de Alunos (PISA), o Brasil ficou na 17a posição, dentro de um total de vinte países, no ranking de competências financeiras de jovens, comprovando a fragilidade do brasileiro nesse quesito.

Futuras gerações

Ao levar em conta a importância do ensinamento caseiro referente ao tema finanças e a inserção de uma disciplina de educação financeira na escola, podemos esperar uma melhora no que diz respeito à vida financeira das futuras gerações.

Entre essas melhorias, podemos citar a facilidade dos jovens em abrir o seu próprio negócio, além do que, futuramente, eles terão a possibilidade de transmitir o que aprendeu sobre o tema a seus filhos. Outro ponto fundamental está no fato de o jovem preparar-se para investir no que realmente importa, dando frutos para ele e para sua família, ajudando também seus pais a pensar na chegada da terceira idade com uma vida financeira mais tranquila.

Lição de casa

Ensinar educação financeira em casa é uma tarefa fundamental para os pais. Para tanto, aproveitar os momentos e afazeres do dia a dia é essencial para o sucesso no planejamento financeiro familiar, já que o tema faz parte da vida. Confira, a seguir, dez dicas sobre como estimular a educação financeira em casa, e mãos à obra:

1. Dê um cofrinho à criança.

2. Ensine sobre o uso adequado da mesada ou do dinheiro que recebe de alguém, além de incentivar a poupar o dinheiro.

3. Abra uma conta poupança para a criança ou o adolescente e ensine a guardar dinheiro. Pode ser uma conta digital, assim os pais podem controlar a conta de casa mesmo.

4. Estimule a ter metas de compras, caso a criança guarde o dinheiro.

5. Ensine a anotar gastos e a participar de decisões financeiras da casa, como, por exemplo, aquisição de um produto que a família ajuntou dinheiro para comprar.

6. Incentive a doação.

7. Estimule a não desperdiçar água, a não deixar a luz ligada e a usar apenas o necessário.

8. Ensine sobre empreendedorismo, bem como a vender o que não possui mais utilidade naquele momento.

9. Converse sobre investimentos, como, por exemplo, a importância de comprar algo que lhe dará retorno futuro.

10. Ensine a criança a realizar tarefas e a ganhar dinheiro pela correta execução.

Abra uma conta digital para o seu filho

Uma boa ideia é a abertura de uma conta digital para a criança, a qual a família pode ajudar a “alimentar” com mesada, investimentos dos pais ou pelo pagamento ao executar alguma tarefa. Alguns bancos digitais já possuem a opção de conta digital kids, e é uma ótima iniciativa para inserir as crianças ou os adolescentes em uma vida financeira saudável, tornando-se, futuramente, adultos responsáveis.

Jaqueline Dubas é jornalista, ama sua família e é mamãe do Gabriel Francisco. Trabalha na área de jornalismo político. Gosta de escrever e ama futebol.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada