Já sou assinante!

Ainda não é assinante?

Identifique-se para ganhar mais 2 artigos por semana!

ou

ou Assine Já

Dores na coluna - Revista Familia Cristã

Dores na coluna

Artigos Recentes

Você já sentiu dores nas costas?

Por Graziele Damas Dutra Cardoso

Há grandes chances de sua resposta ser sim e/ou ainda há a probabilidade de você conhecer alguém que sofra de dores na coluna. De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), 80% da população brasileira já teve ou terá dores na coluna, e isso se tornou um problema de saúde pública, afastando inúmeros profissionais do mercado de trabalho, gerando incapacidade e aumentando o consumo de medicamentos.

Os principais tipos de dores

As principais dores ocorrem na região do pescoço e na região mais baixa da coluna, as quais chamamos de “cervicalgia” e “lombalgia”. As causas mais graves são apenas uma pequena porcentagem, aproximadamente 2%, que incluem fraturas, tumores ou infecções. Em sua grande maioria, a dor tem causa desconhecida, sendo de forma geral atribuída aos maus hábitos, como má alimentação e sedentarismo; ou ainda artrose e hérnias de disco são bastante comuns.

Como a pandemia influenciou nas dores?

Neste período de pandemia, um dos maiores índices de interesse nos sites de busca foi por dor nas costas, o que nos indica o quanto esse problema interfere no dia a dia da população.

Pesquisas mais recentes evidenciam que pessoas com dores na coluna têm os níveis de estresse emocional mais altos, e não podemos deixar de citar o quanto a pandemia gerou aumento significativo do fator emocional, inclusive com índices de ansiedade altíssimos.

Dores nas costas
Pexels.com/Miriam Alonso

Na prática clínica observamos quanto a redução da mobilidade física e da socialização aumentou os índices de pacientes com dores gerais, como dores musculares e de coluna, sendo mais evidente ainda nos idosos, para os quais o fator da mobilidade se torna mais preocupante, porque gera déficit de qualidade de vida.

Mas o que nos chama a atenção é porque ela não foi a causa, mas trouxe à tona o problema que só vem aumentando na última década, refletindo os maus hábitos que a população tem vivenciado, como alimentação ruim, tabagismo, sedentarismo, níveis de estresse altíssimos.

Como evitar esse problema?

M  o  v  i  m  e  n  t  e  –  s  e! O exercício físico é hoje considerado o melhor remédio para essas dores! Todos os protocolos de tratamento de sucesso incluem exercícios. Um questionamento muito comum na prática clínica é qual atividade física escolher, mas o que sempre dizemos é que não há uma atividade ideal; devemos considerar qual o objetivo dentro de uma avaliação específica de funcionalidade, e ainda que é importante descobrir uma atividade que agrade para assim se alcançar os objetivos desejados.

Outro ponto importante é criar uma rotina de bons hábitos, incluindo uma mudança de cada vez para que de fato ocorra. O ideal é tomar bastante água, se alimentar bem e fazer exercícios físicos.

Exercícios para quem tem dores na coluna

Dicas para melhorar a dor

Confira três dicas para você ter mais qualidade de vida e bem-estar ao longo do seu dia.

1. Levante-se de hora em hora e se movimente.

2. Abra e feche os dedos das mãos e suba e desça na ponta dos pés para aumentar a circulação do sangue.

3. Faça alongamentos leves com as pernas e os braços:

  • Estique os braços à frente e dobre os punhos para baixo por 20 segundos; depois faça o mesmo dobrando para cima. Repita 2 vezes.
  • Sentado, erga os braços em direção ao teto e estique as pernas para frente, com a ponta dos pés para cima ao mesmo tempo. Aproveite e respire fundo e devagar.
  • Deitado de barriga para cima, abrace uma perna em direção ao peito e permaneça por 20 segundos. Repita 2 vezes com cada perna.

Dra. Graziele Damas Dutra Cardoso é fisioterapeuta, proprietária da Clínica de fisioterapia e estética Reabilitar. Mãe babona do Miguel, sua paixão é reabilitar através do movimento. Instagram @dragrazidutra.

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada