Já sou assinante!

Ainda não é assinante?

Identifique-se para ganhar mais 2 artigos por semana!

ou

ou Assine Já

Autocuidado, um exercício diário - Revista Familia Cristã

Autocuidado, um exercício diário

Pixabay

Como praticar o cuidado com as nossas emoções no dia a dia

Por Camila Cury

Estamos no fim da Quaresma e muitos fiéis experienciam estes 40 dias como uma oportunidade para refletir e buscar o caminho da mudança interior, por meio de algumas práticas, como o jejum, a oração e a caridade. Nesse sentido, podemos dizer que vivenciar a Quaresma é uma forma de autocuidado espiritual. Quando entramos em contato com nosso lado espiritual, nós nos concentramos no cultivo de um sentimento de paz, amor-próprio e propósito, não apenas dentro de nós, mas em relação a tudo e a todos ao nosso redor. 

A importância de cuidar de si mesmo

O autocuidado é essencial para a construção de uma mente emocionalmente saudável. Essa habilidade nos faz olhar para dentro de nós mesmos e cuidar daquilo que não está bem (ou que não nos faz bem); por isso, deve ser considerada uma prioridade em nossa vida. Quando nos cuidamos, acabamos, naturalmente, cuidando também dos outros e das nossas relações. Mas você sabia que, além do espiritual, existem mais quatro tipos de autocuidado, que são igualmente importantes e precisam ser praticados diariamente por nós? São eles: o físico, o intelectual, o social e o emocional. Neste artigo, trago três ferramentas para que você possa trabalhar o autocuidado emocional no seu cotidiano.

Trabalhando o autocuidado emocional

Nós não somos culpados pelo que sentimos nem mesmo pelo que pensamos; isso porque não temos o poder de controlar aquilo que entra na nossa mente. No entanto, uma vez lá dentro, esses sentimentos e pensamentos podem e devem ser gerenciados por nós! A principal chave para o autocuidado emocional é conseguir assumir o controle da sua mente. Para isso, você pode fazer uso de uma técnica chamada Mesa-Redonda do Eu.

No mesmo sentido das reuniões que fazemos para discutir assuntos profissionais, nesta “mesa” você irá dialogar e discutir abertamente com suas emoções, conflitos, angústias, temores. Faça um relatório das características saudáveis que você precisa desenvolver e das não saudáveis que precisa trabalhar; analise quanto tempo você tem dedicado para cuidar de si mesmo e como pode melhorar isso. Exemplo de como seriam as anotações: preciso reagir de forma menos impulsiva diante de algumas situações; para isso, de agora em diante, vou praticar o silêncio proativo, quando perceber que estou no foco da minha tensão. Dessa forma, eu cuido da minha saúde mental e, também, melhoro as relações que tenho com as pessoas que amo.

Freepik

Duvidar, criticar e determinar

A segunda ferramenta que eu trago é a D.C.D. Estas siglas significam que nós precisamos duvidar de toda falsa crença, de tudo aquilo que nos controla; devemos criticar cada ideia perturbadora e determinar ter novas atitudes para mudar isso. A técnica é a seguinte: quando um pensamento negativo entrar na sua mente, como, por exemplo: eu não vou conseguir alcançar esse objetivo, duvide e critique essa ideia, pensando: por que não? Se eu já alcancei outros objetivos, se eu já estou me esforçando e seguindo o caminho para alcançá-lo, então eu consigo! Perceba que você não expulsou o primeiro pensamento da sua mente, mas, ao mesmo tempo, não deixou que ele prevalecesse; em vez disso, você trouxe outro que se sobrepôs àquela ideia pessimista. A partir daí, determine ser livre e lutar por seus objetivos; determine que não permitirá que pensamentos negativos dominem sua mente e limitem sua capacidade de sonhar.

Contemplar o belo

A terceira ferramenta é chamada Contemplar o belo. É a arte de encontrar a beleza nas pequenas coisas que nos rodeiam. Para isso, é preciso buscar o prazer de viver e extrair o melhor das nossas relações, valorizar aquilo que realmente importa. Então, passe um tempo de qualidade com a família, vibre com as pequenas conquistas, entre em contato com a natureza, permita-se cantar e dançar sem pensar em mais nada; transforme cada momento em uma vivência mágica. 

Por fim, saiba que a principal chave para a gestão da mente está nas suas mãos, pois somente você, e ninguém mais, poderá decidir cuidar das suas emoções!

Camila Cury é presidente e fundadora da Escola da Inteligência. Autora do livro A beleza está nos olhos de quem vê (Editora Sextante, 2010), vive a maternidade com seus filhos Alice e Augusto, e, em seu Instagram, inspira famílias que buscam conteúdo sobre educação dos filhos.

Artigos Recentes

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada