Dicas para ajudar as crianças a desenvolver uma espiritualidade

Artigos Recentes

Crônicas interativas

Juntos, apresentaremos aos outros leitores uma nova obra de arte: crônicas interativas sobre fatos do cotidiano...

A luta para adaptar o trabalho em tempos de pandemia

O impacto da pandemia na taxa de desemprego foi de um aumento de 27,6%, obrigando adaptações com as tecnologias digitais...

Por Rosa Maria Ramalho

Como os pais podem ajudar os filhos a experimentar o amor de Deus

Uma mãe queria saber qual seria a idade apropriada para começar a educação religiosa de sua filha. Foi, então, perguntar a um sábio, cuja fama era muito grande na sua região. O sábio perguntou qual a idade da menina e, quando descobriu que ela tinha 5 anos, disse à mãe: “Depressa, corre para casa, você está com cinco anos de atraso!”.

Essa simples história carrega consigo uma grande verdade: a transmissão da fé não tem momento ou uma idade específica para começar; ela se inicia desde o ventre materno e se desenvolve gradualmente ao longo de todo o processo de desenvolvimento da criança e não pode ser deixada para depois ou delegada exclusivamente a outras pessoas.

Mais gestos do que palavras

Freepik.com

Na Igreja doméstica, os pais exercem uma missão importante e são os primeiros a oferecer aos filhos a oportunidade de experimentar o encontro amoroso com Deus. Através da palavra e do exemplo, os pais são os primeiros anunciadores da fé. Essa é uma tarefa exigente e deve ser realizada, acima de tudo, com a consciência de que o testemunho exerce um papel fundamental.

Certa ocasião, ouvi um programa de rádio no qual uma psicóloga respondia a perguntas sobre a educação dos filhos. Uma mãe queria saber o que fazer para que seu filho de 4 anos fosse dormir mais cedo.

A psicóloga sabiamente perguntou: “A que horas vocês vão dormir?”. A mãe respondeu: “Às duas ou três da madrugada”. A psicóloga, então, disse que a resposta estava dada. A criança estava apenas seguindo o ritmo da vida familiar e, se quisessem que o filho adquirisse o hábito de dormir mais cedo, ela e seu esposo também deveriam mudar o seu hábito.

Portanto, é na família que os filhos têm as primeiras experiências de serem amados e acolhidos, onde aprendem os valores humanos e a responsabilidade de cuidar, acolher e amar.

Assim, se as crianças experimentam em casa a segurança, também experimentam a presença de um Deus amoroso em quem podem confiar. Da mesma forma, elas poderão ver, na bondade das pessoas, a bondade de Deus, no perdão das pessoas, o perdão de Deus, na fidelidade das pessoas, a fidelidade de Deus.

Deus é amor e não amedronta

Ainda é comum encontrarmos pessoas que pensam que a transmissão da fé é feita somente através do ensino de práticas externas ou decorando orações. Sem falar na linguagem amedrontadora quando se refere a Deus. Tudo isso faz com que a religião se torne para a criança algo entediante ou indesejado.

No entanto, a fé cristã é a fé em um Deus que é Amor e que, por meio de seu Filho Jesus, nos ensinou a amar e viver neste mundo com alegria e esperança. A educação permanente da fé deve partir da experiência de ser amado por Deus, e esta se experimenta no amor livre das pessoas, quando o lar é um lugar de acolhida, fé, perdão e respeito.

Igualmente, faz-se necessário apresentar a fé para as crianças com criatividade, de forma positiva e com uma linguagem lúdica que possibilite sua agradável acolhida, como um tesouro precioso que a criança levará para toda a vida.

Falar com Deus sorrindo

As crianças têm uma sensibilidade especial a Deus e a tudo o que é bom e belo. A oração em família é uma maneira de conscientizar as crianças de que elas podem encontrar-se com Deus o tempo todo.

Os adultos, sendo sensíveis à realidade das crianças, devem ajudá-las a ter um relacionamento afetivo e efetivo com o Deus Pai, com Jesus, com Maria, com o Anjo da Guarda e com os santos. Para isso, é muito útil ensinar orações simples e curtas, em vários momentos do dia, como ao acordar e antes de dormir e também antes das refeições.

Os símbolos religiosos na casa também são muito importantes, como o crucifixo, uma imagem de Nossa Senhora, uma vela acesa. Sem esquecer a importância de contar histórias bíblicas para as crianças, especialmente sobre a vida de Jesus e suas parábolas.

Certamente, os livros e as canções não saem de moda e são um ótimo instrumento para introduzir as crianças na vivência da fé e ajudá-las a desenvolver a sua espiritualidade.

Rosa Maria Ramalho é irmã paulina, mestra em Teologia e autora dos livros Brincar com Jesus, Um passeio pela lapinha, Os amigos de Jesus e Aprender com Maria, todos publicados pela Paulinas Editora. É apaixonada por contar histórias e escrever poesias. O seu nome é a sua poesia preferida.

4 COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada