A nossa casa comum

Artigos Recentes

Por Carmen Maria Pulga

Ecologia tem tudo a ver com sustentabilidade e vice-versa. A ecologia promove a complexa teia de interações entre os organismos vivos e o ambiente que habitam. Não apenas os organismos vivos, mas também a matéria sólida, como a pedra, tem influência sobre a complexidade das conexões que nutrem a vida em nossa casa comum, o planeta Terra. Sustentabilidade é a maneira como se deve agir em relação à natureza. Na harmonia do cosmo tudo está unido: a natureza, a sociedade, o progresso e a transcendência.

O agente principal, responsável por garantir a sobrevivência dos recursos naturais de nossa casa comum, é o ser humano, com sua capacidade de refletir e cuidar. Somente nós, os humanos, temos a liberdade de optar entre tecer ou cortar os fios de conexão que garantem a manutenção do meio ambiente, a qualidade de vida e os ecossistemas em harmonia com as pessoas. Cuidar é uma arte e um processo, pois a cada dia você precisa zelar e reinventar a pedagogia do cuidado.

No decorrer da história, encontramos vozes, como a de Francisco de Assis, que perduram no tempo ecoando sobre o cuidado e a gratidão pelo sol, terra, ar, água, fogo, elementos aos quais ele atribui um vínculo de irmandade.

O jesuíta francês, teólogo, filósofo e paleontólogo Teilhard de Chardin também foi um profeta dessa visão integradora. Em nossos dias, o papa Francisco, sobretudo em sua carta encíclica sobre o cuidado da casa comum – Laudato Si’, mi’ Signore (Louvado sejas, meu Senhor) –, retoma esse eco de Francisco de Assis e nos alerta contra o mal que estamos provocando à Terra por causa do uso irresponsável e do abuso dos bens que Deus nela colocou.

São vozes que gritam às margens das agendas do poder econômico, do autoritarismo político, ou mesmo à margem de nosso pequeno espaço doméstico. “Esquecemo-nos de que nós mesmos somos terra (cf.Gn 2,7). O nosso corpo é constituído pelos elementos do planeta; o seu ar nos permite respirar, e a sua água vivifica-nos e restaura-nos”, ressoa a voz do pontífice.

Torna-se necessária e urgente uma mudança radical no comportamento e na cultura dos povos que, na busca do progresso, ignoram de onde vem a seiva da vida. Quando a gente ama, a gente cuida. Portanto, é preciso criar laços de carinho, de cuidado com tudo o que diz respeito à nossa casa comum, porque nela nada nos é indiferente.

Lucas Allmann – Pexels

Num horizonte de esperança, despontam novas vozes, grupos e nações, clamando para a conscientização e responsabilidade. Ou freamos o consumismo, o materialismo, o descuido no descarte, ou impediremos às futuras gerações o prazer de habitar este planeta.

Nesse sentido, a expansão da consciência se dá quando transcendemos a matéria e entramos no coração das coisas, na profundidade dos seres, e lhes tocamos a “alma”, sopro que dá vida a todas as criaturas.  

A ciência e a tecnologia já chegaram ao âmago dos seres, a ponto de transformá-los em vista do desenvolvimento, o que é plausível se acompanhado de responsabilidade, mas trágico quando regido pelo individualismo.  

O Homo sapiens recebeu de forma gratuita o ambiente com seus recursos naturais. Domesticar plantas e animais é sem dúvida um empenho do progresso humano, mas terá que ter a sensibilidade e o respeito ao bem comum. Quando o domínio sobre os recursos naturais se dá pelo poder, pela ganância ou pelo egoísmo, ferimos o autor da vida e obstruímos as veias da humanidade.

Yuval Noah Harari, autor do best-seller Sapiens, questiona seus leitores a partir desse desenvolvimento um tanto às cegas. Não há dúvidas de que o Sapiens mudou completamente sua própria existência e a da Terra. Mas questiona o autor: será que foi para melhor? Será que somos mais felizes? Será que os outros animais, que também compartilham o mesmo planeta, também vivem melhor do que antes?

Carmen Maria Pulga é filósofa, teóloga, mestra em Novas Tecnologias da Comunicação e autora do livro A pétala, da Editora Paulinas. Gosta de arte, desde a culinária até a sucata, e ama ler os autores mais ecléticos.

7 COMENTÁRIOS

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada