Arte reciclável em garrafas

Por Natividade Pereira 

Quem descobriu o vidro, acidentalmente, pela primeira vez foram os mercadores fenícios, há 7 mil anos a.C. Ao acenderem uma fogueira na beira da praia, colocaram sobre ela blocos de nitrato de sódio (sal inorgânico) para manter as panelas no fogo. Os blocos, quando se misturaram com a areia e a alta temperatura, transformaram-se em vidro. Esse acidente mágico mudou nossa história!

Há mais de 5 mil anos a.C., no antigo Egito, já se utilizava o vidro em tigelas, vasos, joias, embalagens, janelas e vários artefatos diferentes. Era um presente nobre levado às famílias mais ricas da região. 

Os sírios e gregos foram aperfeiçoando essa técnica rudimentar com fornos maiores e mais potentes, e assim o vidro ultrapassou fronteiras. Há 100 anos a.C., os romanos descobriram a técnica de sopro e criaram garrafas, copos e inúmeras outras peças.

Com o avanço científico e a Revolução Industrial, foram criados grandes recursos para a fabricação de vidros, com fornos de 1.700º C de temperatura. E, segundo pesquisas, o vidro pode durar até um milhão de anos!

Materiais necessários

  • Uma garrafa de vidro de 60 cm
  • 30 coadores de papel usados
  • Cola branca
  • Barbante cru
  • Flores pequenas
  • Fitas coloridas

Modo de fazer

Rasgue os coadores de café usados em pedaços médios e vá colando na garrafa, com cola branca misturada com água, até cobri-la totalmente. Espere secar e dê mais umas pinceladas de cola para impermeabilizar. No gargalo, cole o barbante e, na parte central, as fitas e flores pequenas. Assim praticamos a reciclagem, contamos histórias e decoramos nossa casa.

Conte nos comentários a sua experiência. Queremos saber como ficou sua criatividade!

Natividade Pereira é artista plástica e autora do livro Cultura popular e folclore na educação, pela Editora Paulinas.

Artigos Recentes

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada