Bíblia, berço da fé judaico-cristã

Palavra de Deus
Pixabay.com

Por Carmem Maria Pulga/ NUCAP

Dona Josefa conseguiu, com muito sacrifício, uma Bíblia ilustrada, muito bonita. Satisfeita por tê-la em sua casa, contentou-se em colocá-la aberta sobre o móvel da sala para ornamentação. 

Vamos pensar um pouco sobre isto:

Por que temos a Bíblia em nossa casa? Que significado ela tem para a sua família? 

Para refletir

A Bíblia não é objeto de ornamentação, um enfeite da casa, como pode acontecer em algumas famílias. O povo da Bíblia escreveu esta história para não perder a memória das maravilhas que Deus fez em favor dele. Ela é o legado de fé que nossos pais nos deixaram.

Demorou séculos para ficar pronta como livro, e muita gente trabalhou nela. Com muita razão, diz-se que ela “é um livro feito em mutirão”. Sua escrita começou aproximadamente no ano 1000 antes de Cristo (a.C.) e terminou aproximadamente no ano 100 depois de Cristo (d.C.). Por volta do século XV, a Bíblia começou a ser impressa assim como a temos hoje. 

Para ler este Testamento com proveito, é preciso olhar os fatos da vida, a realidade do povo de ontem e de hoje. Como foi a fé de nossos antepassados e por que eles deixaram para nós o registro desta caminhada.

Deus continua a falar, hoje, através da Bíblia, mas também através da comunidade de fé e da realidade contemporânea. A Palavra de Deus registrada na Bíblia é como o sal que dá gosto à comida, como fermento que faz crescer a massa. À luz da Revelação Divina, os fatos de nossa vida ganham sentido, dão força à nossa luta e generosidade ao nosso serviço na fé cristã.

A história do povo da Bíblia, suas orações, cantos, biografias, leis, fatos e experiências, nos ajuda a compreender a pedagogia divina. Revela-nos o imenso amor de Deus oferecido ao povo através dos tempos e que tem como ápice a Encarnação do Filho – Jesus Cristo. Ele é o centro, a pessoa principal da Bíblia. Sua proposta, ensinamentos e atitudes nos educam no caminho para o Pai. Ele é a Verdade e a Vida. Sua humanidade nos ensina que é possível instaurar o Reino de Deus aqui na Terra. O Jesus de Nazaré trouxe Deus Pai para junto de nós e o Cristo Ressuscitado nos assegurou que o Espírito amoroso do Pai nos reserva um lugar em sua morada. Somos filhos acolhidos, amados e herdeiros do Reino Celeste. Essa alegria se sustenta na Palavra de Deus revelada na Bíblia, sobretudo na pessoa de Jesus, o Cristo, e na vida das primeiras comunidades cristãs. 

Palavra de Deus
Pixabay.com

A Bíblia é a Palavra que nos ensina a viver melhor, nos corrige quando erramos e nos dá coragem quando temos medo. Ela nos educa na fé e na fraternidade. Quem ama Jesus, acolhe e vive esta “Palavra viva”, que é a Bíblia. É como um filho que recebe com amor o legado de seus pais: agradece e leva a sério os ensinamentos que lhe deixaram.

Para rezar

Neste mês dedicado à Bíblia, reze em família esta declaração do salmista:

“Os preceitos do Senhor são justos e dão alegria ao coração.

Os mandamentos do Senhor são límpidos e trazem luz aos olhos.

O temor do Senhor é puro e dura para sempre.

As ordenanças do Senhor são verdadeiras, são todas elas justas.

São mais desejáveis do que o ouro, do que muito ouro puro; são mais doces do que o mel, do que as gotas do favo.

Por elas o teu servo é advertido; há grande recompensa em obedecer-lhes”

(cf. Salmo 19,8-11).

Se você tiver a Bíblia em casa, leia a Segunda Carta a Timóteo junto com seus filhos e reze sobre estas palavras do apóstolo Paulo:

“Porque desde criança você conhece as sagradas letras, que são capazes de torná-lo sábio para a salvação mediante a fé em Cristo Jesus.

Toda a Escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para a repreensão, para a correção e para a instrução na justiça, para que o homem de Deus seja apto e plenamente preparado para toda boa obra” (cf. 2 Timóteo 3,15-17).

Para viver

Tornar hábito a leitura da Bíblia em família, sobretudo quando se une em oração não só para agradecer e louvar a Deus (os salmos nos ajudam nesta oração), como também para discernir sobre decisões a tomar. Deixar que ela nos ilumine quando temos dificuldade de perdoar (os evangelhos nos ajudam nessas situações) ou quando necessitamos de orientação para partilhar e viver em comunidade (os Atos dos Apóstolos e as cartas do Novo Testamento são inspiração nestes casos). Faça esta experiência e verá as boas mudanças acontecerem. 

Carmem Maria Pulga é filósofa, teóloga, mestra em Novas Tecnologias da Comunicação e autora dos livros A pétala e Divino livro proibido, ambos publicados pela Paulinas Editora. Gosta de arte, desde a culinária até a sucata, e ama ler os autores mais ecléticos.

NUCAP (Núcleo de Catequese Paulinas) tem o objetivo de captar não só agentes multiplicadores locais, sintonizados com o projeto editorial: professores de Bíblia, liturgia e catequese, como também catequistas experientes e com alguma especialização na área bíblico-litúrgica, para atender à necessidade de apresentar os títulos publicados, acompanhar as etapas após a adoção das coleções, estabelecer parcerias em cursos com dioceses e paróquias e divulgar os cursos EAD em catequese. Acesse Paulinas Cursos e confira!

Artigos Recentes

Deixe seu comentário

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui

error: Ação desabilitada